quinta-feira, 7 de abril de 2016

Como escolher um bom livro? - Parte 1

Como escolher um bom livro?




Eu tinha uns quatorze anos quando comecei a gostar de ler. Minhas leituras começaram como uma obrigação escolar, já que valia nota de trabalho. No entanto, fui muito feliz na escolha da minha primeira leitura! O livro se chamava “As viagens de Marco Polo”, por Marco Polo, e, na edição que li, teve sua adaptação em português pela Ana Maria Machado.

O desbravador, que dá o seu nome ao livro, relata sua trajetória na China e o que ele descobriu acerca dos costumes daquele povo, seus palácios e recursos. Na época em que li, lembro-me que apreciei muito essa leitura, pois sempre me interessei por história antiga e medieval, bem como aventuras. Ainda pretendo cursar a faculdade de História!

Depois desse livro, comecei a ler com mais frequência até que deixou de ser uma obrigação e passou a ser não só um hábito, mas também um prazer. Confesso que tenho época que leio mais, outra menos, mas sempre busco ler alguma coisa, seja material impresso ou na web.

Muitas pessoas tem dificuldade na escolha de um livro, principalmente a leitura por lazer, já que muitos apenas procuram ler os livros obrigatórios, como os que são colocadas pela escola, faculdade, trabalho ou algum curso que a pessoa esteja fazendo naquele momento.

Acredito que todos podem se tornar leitores. Existem muitos leitores em potencial à solta por aí, à espera de um livro que desperte neles o tão famigerado gosto pela leitura.

Pensando nisso, resolvi escrever esse post com algumas dicas para te ajudar a escolher um bom livro. Devido ao seu tamanho, estou dividindo em duas partes para tornar o conteúdo menos cansativo.

Aqui listo alguns critérios que busco seguir na hora de escolher uma leitura. Às vezes sigo todos, às vezes não, pois isso dependerá do momento que eu estiver vivendo.

Lembrando: são apenas dicas e sugestões! Existem muitas maneiras de fazermos uma escolha e, com o tempo e o hábito que vamos adquirindo, esses critérios vão mudando e sendo adaptados à realidade de cada pessoa. Eu mesma já mudei várias vezes os meus critérios de seleção literária.

Então, deixemos o blábláblá de lado e vamos aos critérios que, na minha opinião, podem não ser os melhores, porém são um bom ponto de partida na escolha de um bom livro:

# Título do livro

Livro "Ansiedade, Como Enfrentar o Mal do século"
Títulos apresentam de maneira objetiva e direita o possível assunto daquele livro. Bons título geram curiosidade, especialmente se você está passando por algum problema e que possivelmente possa ser resolvido ao conhecer e aplicar algumas, ou todas, as sugestões apresentadas naquele livro.

Algo que aconteceu comigo há algum tempo atrás foi, ao ter entrado na livraria, ter visto um título em vermelho com letras maiúsculas e grandes, na capa de um livro do Dr. Augusto Cury, que dizia “ANSIEDADE”.

Sei que de vez em quando enfrento problemas pessoais relacionados ao assunto destacado no título do livro. Isso despertou minha curiosidade para ler a sinopse (próximo tópico) e levá-lo para casa. Foi uma ótima leitura, que me ajudou a entender algumas situações em que estou vivendo e algumas dicas dele tem me ajudado a resolver algumas coisas.


#Sinopse

Nada mais é do que um breve resumo de um filme ou livro. Pode ser encontrada na contracapa, atrás, ou nas orelhas do livro, que é uma extensão dobrável da capa e contracapa.

Após ter lido o título, corro para ler a sinopse. Geralmente, bons livros costumam ter boas sinopses. Se ela for boa, geralmente fico doida para fazer aquela leitura.

Ela te dará algumas pistas do que te espera naquele livro. É como assistir um trailer de filme, só que não, pois é escrito e sem ação.


#Escritores

Escritores
Outro ponto a se considerar são os autores do livro. Alguns deles conseguem escrever muitos livros diferentes e sobre diversos assuntos. E, após ter lido um livro daquele autor, eu fico muito motivada a ler outros títulos do mesmo escritor.

Mas isso não é uma regra. Assim como uma continuação de filmes (Exemplo: Madagascar 1, 2 e 3), pode ter uma sequência que agrada mais e outro menos, também existem livros assim. Em outras palavras, nem sempre um livro escrito pelo mesmo autor será legal ao outro que eu li anteriormente.

No entanto, existem grandes chances desses escritores repetirem o acerto que tiveram em outros livros e fazer da nova leitura um momento único e sublime. Porém, não aconselho a se prender a único estilo de escrita, pois com o tempo pode ser que haja um enjoo de ler ou até mesmo frustração por não encontrar um livro como aquele que mexeu com você.

Por isso recomendo a diversidade de escritores, ainda que apresente o mesmo tema, pois cada escritor enxerga o mundo e as pessoas de uma perspectiva única, já que cada um de nós somos muito diferentes.


#Editora

Livro "Aprendendo a Desenvolver aplicações Web" - Semmy Purwel
Atualmente, existem várias editoras especializadas em diversos segmentos, como a Mundo Cristão, totalmente voltada para o público cristão. Na área de TI, a O’Reilly, que no Brasil é representada pela Novatec, até o momento em que escrevo esse post. A Sextante publica para vários tipos de público. Enfim, opções não faltam.

Pela editora, podemos perceber a qualidade do conteúdo publicado nos livros, bem como impressão, encadernação dos exemplares e nossos escritores favoritos. Por exemplo, gosto muito da Editora Vida Nova, que publica no Brasil, alguns autores que aprecio como Timothy Keller e Paul Miller. Além disso, gosto da qualidade das impressões e a arte das capas.

Considero importante conhecer um pouco sobre a editora que publica os livros que leio, pois isso pode me levar a novas leituras e a novos escritores.

Outro fato interessante, é que pode acontecer de a Editora decepcionar ou surpreender. Como aconteceu comigo, em relação a Arqueiro, que pública para um público não cristão. Encontrei uma ficção cristã, publicada por ela, que me surpreendeu e estou gostando muito (Em breve teremos resenha).


#Frequente Bibliotecas e Livrarias

Estante
Consigo passar um tempo considerável dentro de uma livraria, a ponto de não ver a hora passar. Escolher vários livros e, às vezes, não levar nenhum. Hábito estranhos de leitores (Risos).

Se você não tem hábito de ler, frequente bibliotecas e livrarias. São ambientes legais e favoráveis que estimulam o contato com o mundo da leitura. E que geralmente permitem que, se o livro não estiver empacotado com plástico, no caso das livrarias, folheemos os livros, leiamos alguns trechos e etc.

Gosto de comprar livros pela Internet, e às vezes consigo uma boa economia nos valores, mas infelizmente ela não proporciona a oportunidade de folhear o livro (próximo tópico). Por esse motivo, quando vou comprar online, considero importante conhecermos um pouco a editora que publica os livros que eu leio (tópico anterior).

Algumas livrarias online, talvez na tentativa de amenizar essa situação, oferecem um ou dois capítulos de cortesia para gerar expectativa nos leitores, mas não é a mesma coisa.


#Folheie e leia trechos do livro

Folhear e ler trechos de um livro
Relacionada ao tópico anterior: Sim, folhear livros e ler trechos de livros! Isso permite conhecer um pouco a linguagem do autor, se o texto vai gerar desejo de ler, se a impressão e o papel serão confortáveis aos olhos, entre outras coisas.

Por isso, caso deseje adquirir livros, ao invés de fazer isso em livrarias online, recomendo que, se possível, compre os seus primeiros livros na livraria local de sua cidade, congressos, eventos ou feiras, pois permite esse tipo de contato. Com o tempo vamos aprendendo a conhecer as editoras e os escritores, o que facilitará a aquisição desse bem intelectual.


#Não olhe o tamanho, mas...


Cuidado com o tamanho do primeiro livro.
Algumas pessoas ficam assustadas com o tamanho e a quantidade de páginas. Eu sei que rola aquele receio, já que dá a impressão de que vamos levar uma vida para ler ou então podemos ser acometidos pela preguiça. Entretanto, se o tema e o assunto forem bons, bem como o estilo de escrita do autor, o tempo passa e a gente nem vê.

Mas se você ainda não adquiriu esse hábito, sugiro que busque livros menores e vá criando metas de aumentar ou, à medida que esse hábito for se estabelecendo em você, procure assuntos e temas que te interessam, no entanto, sem se preocupar com o tamanho ou número de páginas.

Concluindo...

Espero que essas poucas dicas, possam, desde já, te ajudar a escolher um bom livro. Na segunda parte desse post, falarei sobre outras dicas interessantes que poderão melhorar ainda mais essa escolha.

Confira a segunda parte desse post: Como escolher um bom livro? - Parte 2!

Até lá!

Postagens Populares