quinta-feira, 14 de julho de 2016

Marley e Eu | John Grogan (#R05)


Animais de estimação fazem parte da vida de muitas pessoas por aí... Inclusive da minha! E é sobre esses pequenos “serumaninhos” que o livro de hoje fala.

“Marley e Eu” não é nenhuma novidade para muitas pessoas, afinal de contas, além de ter sido um best-seller na época em que foi lançado, foi um sucesso no cinema. Mas como recentemente tive a oportunidade de ler esse livro, decidi resenhá-lo dando minha opinião em relação ao filme.

O livro


Título: "Marley & Eu - A vida e o amor ao lado do pior cão do mundo"
Autor: John Grogan
Páginas: 303
Ano: 2006
Editora: Ediouro


Minha sinopse : O livro conta a história de John e Jenny Grogan, que, recém-casados, decidiram adotar um cãozinho com a finalidade de “atiçar” o lado paternal e maternal em suas vidas.

Ao visitar uma casa que trabalha com procriação de animais, eles se apaixonam por esse cãozinho, que mais tarde recebe o nome de Marley, e o levam para casa. Então, começa uma série de situações divertidas, inusitadas e tensas.

Marley era agitado, bagunceiro, encrenqueiro, babava em tudo e em todo mundo, tinha medo de trovões e parecia prever temporais. No entanto, era amoroso, companheiro e fiel. Era imensamente amado pelos Grogan.

Trechos destaques


Esses foram os trechos destaque que escolhi para essa resenha:

Sobre o Marley comer o colar de ouro da Jenny: "Marley encarou-nos com ar suspeito, virando a cabeça de um lado para o outro para cada um de nós. Conseguimos cercá-lo, mas ele sabia que tinha algo que queríamos. Pude vê-lo pensando quais seriam suas opções, um pedido de resgate, talvez: Deixem duzentos biscoitos de cachorros não numerados num saco de supermercado, ou vocês nunca verão seu precioso colarzinho novamente."

Sobre valorizar o que é simples: "Poderíamos ter comprado um pequeno iate com o que nós gastamos com nosso cachorro [Marley] e tudo que ele destruiu. Mas, me pergunto: quantos iates ficam esperando à porta o dia inteiro até você voltar? Quantos vivem esperando a chance de subir no seu colo ou descer a colina com você em um tobogã, lambendo o seu rosto?"

O autor


John Grogan é americano e mora na Pensilvânia, Estados Unidos. É casado com Jenny e pai de três filhos. É escritor e era um dos colunistas do The Philadelphia Inquirer.

Sua conivência com Marley durou 13 anos e para se despedir do seu fiel e amado cão, escreveu as seguintes palavras em uma coluna do jornal onde trabalhava:

Um cão não precisa de carros modernos, palacetes ou roupas caras. Símbolos de status não significam nada para ele. Um pedaço de madeira encontrado na praia serve. Um cão não julga os outros por sua cor, religião ou classe social, mas por quem são por dentro. Um cão não se importa se você é rico ou pobre, esperto ou não, inteligente ou burro. Se você lhe der seu coração, ele lhe dará o dele. ”.

Fazendo algumas buscas no YouTube, encontrei esse vídeo com uma entrevista dada ao escritor a TV Record:


Minha opinião sobre o livro


Gosto de ler ficção, mas hoje tenho preferências por livros de não ficção. Quando faço esse tipo de leitura, me pergunto: “Sério que isso aconteceu de verdade? ”. São histórias mais emocionantes e carregam seu peso de veracidade.

Apesar de já ter assistido ao filme algumas vezes antes de ler o livro, a leitura não perdeu em nada sua essência para mim. “Marley e eu” é uma história divertida e emocionante! Há muito tempo não ria tanto lendo um livro e também não me emocionava tanto!

Possui uma linguagem agradável, criativa e divertida capaz de nos prender a trama da história, página após página! Amo livros assim!

O Filme


O filme foi lançado no Brasil em 2008 pela Twentieth Century Fox. Estrelados por Owen Wilson (John Grogan) e Jenifer Aniston (Jenny Grogan), o filme conta uma história similar ao filme. Um casal recém-casado que decidem adotar um cãozinho de estimação com o objetivo de revelar esse instinto maternal.

Se você não viu ainda, dá uma olhada no trailer:


Minha opinião: livro X filme


Amo filmes, mas ainda prefiro livros. Apesar de ter rido muito com o filme, ter lido o livro foi muito melhor. Por alguns motivos simples:

1. Por questões óbvias, o filme não é muito fiel ao livro, já que é quase impossível reproduzir a realidade. Embora muitas coisas relacionadas a Marley sejam muito parecidas com o filme, alguns aspectos da vida dos Grogan ficam faltando ou foram substituídas por outros.

2. Como a história foi contada pela pessoa que a viveu, ou seja, John Grogan, ele agrega muitos mais detalhes e histórias novas e inusitadas a trama do livro. A intensidade e a criatividade que ele usa no livro o tornam mais divertido e emocionante.

3. Você acha que foi exagero o que você viu no filme sobre o encrenqueiro Marley? Sabe de nada, inocente! Algo que me surpreendeu no livro é que nosso amigo canino conseguiu ser muito mais encrenqueiro na vida real do que no filme.

Conclusão


Pergunta que não quer calar: recomendo esse livro? Com certeza! Especialmente para aqueles que gostariam de ler mais, mas não fazem ideia de por onde começar!
É uma leitura muito agradável, assim como o filme, e vale muito a pena!

Gostou do livro, filme ou dos dois? Deixe sua opinião nos comentários!
Se você gostou dessa resenha compartilhe com seus amigos, colegas, familiares...
Ah! E Se você quiser esse livro, pode fazer isso clicando aqui: Marley & Eu - John Grogan!

Muito obrigada por ter me aguentado até aqui!

Até mais, abraço!

Postagens Populares