sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A moeda | Joyce Meyer e Deborah Bedford (#R07)

Capa do livro "A Moeda", Joyce Meyer e Deborah Bedford


Será que uma moeda é capaz de mudar a vida de alguém? Muito provavelmente não, no entanto, para a protagonista desse livro, significou aquilo que podemos chamar de “o início de uma nova era”.

A vida de nossa protagonista de hoje não é nada fácil. Adolescente e filha de um pai possessivo e uma mãe omissa, tendo como irmã Jean, uma garota que se pudesse fugiria da realidade, Jane Blake, a narradora dessa história, é marcada por traumas, abuso, tristeza, magoa, sofrimento e solidão.

Mas tudo começa quando ela, Jane, encontra uma pequena moeda no chão e decide pegá-la. Sua decisão desencadeia uma série de acontecimentos, que chamam a atenção de muitas pessoas, dentre elas a Srta. Shaw, dona da joalheria da Grand Avenue.

A partir daí a sua vida começa a mudar. Não por causa da moeda, mas por causa de quem ela conhece, pessoas que lhe mostram um novo rumo, uma perspectiva de esperança.

Capa do livro "A Moeda"
Título: "A moeda, uma história sobre o amor de Deus"
Autores: Joyce Meyer e Deborah Bedford
Ano: 2012
Páginas: 255
Idioma: Português
Editora: Bello Publicações
Minha nota: 5/5

Minha opinião e experiência com a leitura


A capa é muito bonita e descreve bem o enredo da história. Quando você for ler, vai entender o que estou querendo dizer. Porém gostaria que o livro tivesse orelhas. Na minha opinião, acho que isso ajudaria a conservá-lo melhor.

Já a trama fala de diversos assuntos, dentre eles abuso, violência, racismo, perdão e Deus. Sim, Deus! Na verdade, é “Uma história sobre o amor de Deus”. O livro mostra, também, a importância de Deus em nossa vida.

É a segunda vez que leio uma ficção cristã (tem resenha da primeira ficção aqui no Blog). E estou muito surpresa e tocada pela forma e cuidado com o qual as autoras desse livro tratam os assuntos citados acima.

Trecho:Aprendi com aquela pequena moeda especial o quanto as pequenas coisas da vida podem ser importantes, porque aquela moeda me levou a conhecer a srta. Shaw, e conhece-la foi o que fez com que as coisas começassem a mudar entre Papai e Jean, e entre mim e Mamãe. ”.

O perfil da protagonista, bem como os demais personagens, foi muito bem delineado. Especialmente por ser em parte, acredito eu, baseado em fatos reais.

Nunca li nada da coautora Deborah Bedford, mas já li livros e assisti pregações da escritora Joyce Meyer. E sei que algumas situações relatadas nessa trama são baseadas na vida dela, como problemas familiares, por exemplo.

Joyce Meyer e Deborah Bedford

Os capítulos são muito bem linkados entre si, e achei que o final foi satisfatório, "pero no mucho" (mas não muito). Senti que ficou faltando algo. Lógico, que por motivos de spoiler, não o contarei, porém achei o final muito rápido.

Quanto a forma de escrita, possui uma linguagem fácil e simples de ser lida e entendida. Encontrei pouquíssimos erros de edição, o que não atrapalhou em nada o entendimento e compreensão da obra.

Falando em compreensão, no final do livro existe um guia para estudo em grupo com 14 perguntas. Achei muito legal e me ajudou a refletir um pouco mais ainda sobre a trama.

Apesar do tamanho, foi uma leitura rápida. Li em poucos dias, menos de uma semana. Foi uma leitura que me envolveu a ponto de eu não querer largar o livro.


Conclusão


Vivemos dias e em uma sociedade que deseja ardentemente ter coisas grandes. Valorizamos coisas grandes em detrimento de coisas pequenas, mas são as simples e pequenas coisas que podem transformar as nossas vidas.

Não estou dizendo que o que é grande não importa. É claro que importa! Se não fosse tão importante assim não seria tão desejado. E como grandeza ou pequeneza é uma questão de ponto de vista, te deixo uma reflexão: o que é grande ou pequeno para você? Ou, ainda, qual é mais importante?

Para você eu não sei, entretanto entendo que pequenas decisões podem trazer consigo grandes resultados. Não foi a moeda que começou a mudança na vida de Jane Blake, foi a sua decisão de pegar a moeda.

E apesar de eu não ter curtido a forma como o final foi apresentado, como eu disse acima, achei a obra excelente e recomendo muito! Especialmente àqueles que querem criar gosto pela leitura de livros e não sabem por onde começar ou para aqueles que querem se entreter com conteúdo de qualidade.