quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Conte para Deus que você comeu coxinha!


Em 2016, minha Igreja promoveu um período de Jejum de 90 dias sem carne. Sim, é isso mesmo que você leu.

A cada 21 dias fazíamos uma pausa de 07 dias para reposição de proteína. Nessa pausa, podíamos comer carne branca (frango, peixe, porco, peru e o que mais se encaixasse aqui).

E foi na primeira pausa de 07 dias que se deu o negócio da coxinha.

Numa noite de quarta-feira, após o culto, eu tive uma ideia um pouco infeliz: comprar uma coxinha de frango na cantina da Igreja. E não foi só ideia não, eu comprei mesmo e comi. E depois fui para casa.

Chegando lá, fiz o que precisava fazer e fui dormir.

Só que de madrugada... Eu acordei com o estômago em chamas! Tive aquela queimação generosa! Fique rolando para lá e para cá!

Até que não aguentei e tomei aquele antiácido maravilhoso para aliviar “até a alma”! Deu uma amenizada, porém, ainda fiquei com o estômago meio esquisito. Mas consegui dormir o pouco da noite que me restava.

Nesse período também estávamos orando pelas manhãs na Igreja. Então levantei, com o estômago ainda "zuado", e fui à oração.

Lá na Igreja, depois da oração inicial, tivemos um tempo individual com Deus.

Após me ajoelhar, comecei a tentar orar. Digo tentar, porque meu estômago estava tão mal que não consegui me concentrar. Depois de um tempo tentando, não consegui. E disse a Jesus:

- Jesus, é o seguinte: Não estou conseguindo me concentrar... Sabe o que é? É que ontem eu comi uma cozinha e aconteceu que eu tive uma queimação, que não me deixou dormir... (E o resto do que contei para você anteriormente). Por isso, não estou conseguindo me concentrar agora e...

Algo aconteceu depois disso. De uma forma que não sei explicar, fiquei em silêncio. Minha alma se calou. Então ouvi Jesus falar:

- Eu gostaria que as pessoas me contassem coisas simples, como essa que você acabou de contar, que você está com queimação porque comeu coxinha. Eu espero que as pessoas intercedam sim e peçam em favor de outras pessoas, mas que elas me contem coisas simples como essa.

Depois disso, o versículo que veio a minha cabeça foi:

"Jesus chamou uma criança, colocou-a na frente deles e disse: Eu afirmo a vocês que isto é verdade: se vocês não mudarem de vida e não ficarem iguais às crianças, nunca entrarão no Reino do Céu. A pessoa mais importante no Reino do Céu é aquela que se humilha e fica igual a uma criança." (Mateus 18:2-4, NTLH)


Isso me fez pensar em como uma criança age. Eu não sou mãe, mas quem não tem crianças por perto para observar?

Elas são imaturas em muitas coisas. Não conseguem lidar com alguns assuntos como os adultos lidam, entretanto são muito simples e sinceras em sua forma de falar. Não escondem quando estão alegres ou tristes e não tem medo de dizer o que pensam.

Quando Jesus nos diz para que "ficássemos iguais a uma criança", ele não está dizendo sobre sermos imaturos como elas e sim sobre não termos barreiras para nos chegarmos até Ele. Não precisamos de métodos para orar, nem muito menos de fórmulas secretas para isso. É só falar! Simples assim!

Agora, o que não podemos desprezar, é o fato de a Bíblia nos apontar modelos de oração, como é caso da oração que chamamos de “Pai nosso” (Mateus 6).

Ao nos ensinar sobre isso, Jesus nos deixa uma modelo a ser seguido. Entretanto, não é um modelo engessado, pois Ele mesmo se mostra contrário a prática de repetições vazias:

"E quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não sejam iguais a eles, porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem." (Mateus 6:7-8, NVI).

Como o versículo diz, o Pai já sabe do que precisamos. Ele apenas espera que digamos isso a ele, pois o desejo dele é ter um relacionamento íntimo conosco.

E só podemos dizer que somos íntimos de alguém quando conhecemos muito bem essa pessoa, ou seja, sabemos seus gostos, seus anseios e do que ela não gosta.

Você já sabe o que você faz que Deus não gosta ou aquilo que você faz que O agrada? #PenseNisso

Nosso desejo, de maneira similar, precisa ser o de conhecer o coração de Deus. Isso só vai acontecer quando ouvirmos a batida de Jesus na nossa porta e abrirmos para que ele entre e tenha comunhão conosco (Apocalipse 3:20).

E, se vamos abrir a porta para Ele entrar, não podemos ter medo de expor a bagunça que está em casa. Os muitos brinquedos espalhados pelo chão e que tem feito muita criança, grande ou pequena, tropeçar.

Jesus quer nos ajudar a colocar as coisas no lugar e, como disse Paul Miller, autor do livro "O poder de uma vida de Oração",
“Ele [Jesus] ama criancinhas do tamanho adulto”.

Ah! E para você que está se perguntando o que aconteceu com a queimação no estômago: no final da oração, a queimação já tinha passado e meu estômago voltou ao normal.


PARA VOCÊ QUE CHEGOU NO FINAL DESSE POST


Coloca aqui nos comentários: o que você faz quando tem queimação? E qual foi a experiência mais diferentona que você já teve com Deus?

Deixe sua opinião e sugestões para os próximos posts.

Se esse post te ajudou de alguma maneira, compartilhe com seus amigos e nas redes sociais.

Que Deus te abençoe! Até mais! Tchau!

Postagens Populares